CLÍNICA MÉDICA DRA VIRGINIA VELOSO

CLÍNICA MÉDICA DRA VIRGINIA VELOSO

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

PRESIDENCIÁVEL MARINA DÁ SINAIS AO MERCADO

:
A nova candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, criticou a presidente Dilma Rousseff pela crise no setor energético e prometeu que, se eleita, seu esforço será pela estabilização da economia do país.

"Sabemos que os investimentos têm que acontecer no nosso país e isso vai acontecer quando tivermos uma nova base política que dê credibilidade para os investimentos", disse Marina em sua primeira entrevista coletiva depois de o PSB formalizar sua candidatura à Presidência.

"Poderemos combinar os instrumentos da macroeconomia com a microeconomia para que o Brasil possa voltar à estabilidade econômica, esse será o nosso esforço", acrescentou a ex-senadora, que substituiu Eduardo Campos, morto num acidente aéreo na semana passada, como cabeça de chapa do PSB.

Marina reafirmou também o compromisso com o sistema de metas de inflação, câmbio flutuante e autonomia do Banco Central, lembrando que já defendia essas posições em 2010, quando foi candidata à Presidência pelo PV e teve quase 20 milhões de votos.

A candidata também repetiu o compromisso com as reformas anunciadas por Campos, como a tributária, e mostrou confiança de que poderão ser realizadas com o apoio da sociedade brasileira.

Ela defendeu as conquistas alcançadas pelo país com os governos Fernando Henrique Cardoso (PSDB) --controle da inflação-- e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) --redução das desigualdades sociais--, mas foi bastante dura ao criticar Dilma, lembrando que Campos dizia que a presidente vai entregar um país pior do que recebeu.

E partiu para o ataque contra a petista, que busca a reeleição, quando falou sobre a crise do setor energético.

"É lamentável que tenhamos desde 2002 a ameaça de apagão. Eu digo lamentável porque nós temos há 12 anos a mesma pessoa à frente da política energética do nosso país, inicialmente como ministra (de Minas e Energia), depois como chefe da Casa Civil e agora como presidente da República", disparou.

Marina disse que irá resolver o problema de "forma estrutural" e defendeu um maior uso de energias alternativas, mas admitiu que tudo isso não é algo "que se faça da noite para o dia".

Pesquisa Datafolha divulgada na madrugada de segunda-feira mostrou no cenário de primeiro turno Dilma com 36 por cento das intenções de voto, seguida por Marina com 21 por cento e Aécio Neves, candidato do PSDB, com 20 por cento. A margem de erro da sondagem é de 2 pontos percentuais.

Em simulação de um eventual segundo turno com a presidente Dilma, Marina apareceu na pesquisa com 47 por cento contra 43 por cento da petista.

Na entrevista, Marina falou ainda de um assunto sensível para ela, ambientalista conhecida por suas posições firmes. Questionada se faria mudanças no novo Código Florestal, a candidata defendeu sua implementação. Mas lembrou que as leis que não são cláusulas pétreas e estão sujeitas a alterações.

"Nesse momento nosso compromisso é de implementar (o código), que infelizmente não está sendo implementado."

AÉCIO CONVOCA REUNIÃO PREOCUPADO COM MARINA SILVA

:

Diante da oficialização da candidatura da ex-senadora Marina Silva à Presidência pelo PSB, o presidenciável tucano Aécio Neves convocou uma reunião de emergência com seu comitê de campanha na noite desta quarta-feira.

Segundo ressalta o colunista Ilimar Franco, desde de a morte precoce de Eduardo Campos, Marina tem conquistado votos da juventude e dos setores médios, que antes estavam com Aécio. Ao mesmo tempo, o desempenho do governo Dilma melhora a cada pesquisa. Com isso, o temor é que o tucano deixe de ser o veículo de voto da oposição nas cidades grandes e médias.

Em 2010, Marina venceu em Belo Horizonte e Brasília. Chegou em segundo no Rio de Janeiro, em Salvador, Recife e Fortaleza. Há trackings circulando no mercado em que ela está cinco pontos percentuais à frente de Aécio no país. Em Minas, as intenções de voto triplicaram em relação a Eduardo Campos.

Ao comentar a mudança do quadro eleitoral com a entrada da ex-ministra, um dirigente político da oposição afirmou que “no Brasil, já vimos o surgimento de ondas. O que começa com marola pode terminar num tsunami”.

Foram convocados para a reunião o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), o prefeito ACM Neto, o vice Aloysio Nunes Ferreira, o ex-governador José Serra, e o presidente do DEM, José Agripino.

O coordenador-geral da campanha, Agripino Maia (DEM-RN) apresentou um relatório sobre a situação em cada Estado.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

CATENDE NOTÍCIAS PRESENTE NO VELÓRIO DE EDUARDO CAMPOS (FOTOS)

O BLOG CATENDE NOTÍCIAS esteve presente ontem no velório do ex governador e presidenciável Eduardo Campos em frente ao Palácio do Governo na Praça da Republica do Recife. Caravanas de todo o Estado se despedindo de Eduardo Campos que morreu na última quarta-feira, dia 13, em um acidente de avião no litoral de São Paulo.

VEJAM AS FOTOS NO EVENTO:   




VEREADOR NEGO DE BIU DE CATENDE





PREFEITO OTACÍLIO CORDEIRO E OS VEREADORES ZÉ JOAQUIM E NEGO DE BIU DE CATENDE