CLÍNICA MÉDICA DRA VIRGINIA E MACEDO ODONTOLOGIA

CLÍNICA MÉDICA DRA VIRGINIA E MACEDO ODONTOLOGIA

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

VEREADOR RINALDO BARROS IMPLANTA WIFI LIVRE EM CATENDE


Numa ação inovadora na cidade de Catende, o dinâmico Vereador Rinaldo Barros, implantou no Bairro Canaã, no distrito de Lage Grande e na Praça Coração Eucarístico o projeto de internet wi-fi livre, com o objetivo de democratizar o acesso à internet e com isso fazer com que os cidadãos se apropriem dos espaços públicos. O projeto wi fi livre oferece velocidade suficiente para acessar redes sociais, baixar arquivos e compartilhar vídeos. 

Não é exigido cadastro para utilização do serviço. Basta que o usuário disponha de um aparelho compatível com a tecnologia WiFi (celulares, tablets, notebooks e outros dispositivos), localize o sinal wi fi livre e autentique o acesso com a senha: RINALDO BARROS.
BAIRRO CANAÃ

PRAÇA CORAÇÃO EUCARISTICO

DISTRITO DE LAGE GRANDE


sábado, 8 de novembro de 2014

DIA "D" DE VACINAÇÃO EM CATENDE

Hoje foi o dia "D" de vacinação contra o sarampo e a poliomielite (paralisia infantil). A ação faz parte da campanha de vacinação, que está sendo realizada em todo o país e segue até o dia 28 de novembro. Em Catende a Secretaria de Saúde disponibilizou locais de vacinação nas  Unidades de Saúde da Família e na Unidade Mista. O Secretário Flávio Cavalcante  e equipe visitaram todas as unidades companhando o trabalho das equipes de vacinação. 














USF DE LAGE GRANDE 2








quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial em PE


A Confederação Nacional de Municípios (CNM) convida os gestores municipais para participar do Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial. O evento acontece entre os dias 20 e 22 de novembro em Olinda (PE).

A CNM explica que este encontro busca, em conjunto com suas parcerias, o alinhamento de ações; a definição da pauta de reivindicações; a construção de uma agenda estratégica; e a difusão do conhecimento de políticas públicas e de boas práticas relacionadas às Cidades Históricas do Brasil.

As cidades históricas se constituem em importante fator de desenvolvimento sustentável para o turismo cultural como gerador de riquezas, de emprego e de renda. Portanto, necessitam de políticas públicas sólidas e permanentes para que consigam avançar positivamente pelo caminho do crescimento, do bem-estar e da justiça social.

CNM divulga projeção do aumento do FPM



A Confederação Nacional de Municípios (CNM) calculou quanto cada prefeitura vai receber com o aumento de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O repasse será inicialmente dividido: 0,5% em julho de 2015 e 0,5% em julho de 2016. As projeções da entidade podem ser verificadas com detalhes. Há valores dos 26 Estados, além do Distrito Federal, e todos os entes municipais estão listados.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 426/2014, que prevê este aumento, foi aprovada em primeiro turno na última terça-feira, 4 de novembro, no Plenário da Câmara dos Deputados. Todos os 367 deputados presentes foram favoráveis à matéria. Como manda o regimento, a PEC precisa ser votada também em segundo turno para depois ser promulgada pelo Congresso. Só depois disso, os Municípios terão direito ao valor divulgado pela CNM.

De acordo com o regimento, é preciso um intervalo de cinco sessões entre uma votação e outra. Mas, se os líderes partidários concordarem, pode ser apresentada a quebra de intercício. Os deputados aprovam este pedido e em seguida, logo na próxima sessão em Plenário, aprovam a PEC 426 em segundo turno. O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski pede que os gestores entrem em contato com os deputados no sentido de apressar a votação.

A cidade de Catende  0.5 %  549.443 em 2015 e 1%  1.192.292 em 2016

Veja quanto sua cidade irá receber ni link abaixo

Auditor com salário de 27 mil perde cargo por abandono


Um caso inusitado, mas real e que está hoje no Diário Oficial, em ato assinado pelo governador João Lyra Neto: Darley José de Queiroz Melo, que percebia um salário em torno de R$ 27 mil como auditor fiscal do tesouro estadual, foi demitido por abandono de emprego.

Seu processo começou em 2013, ainda no Governo Eduardo Campos. Embora tenha tido todo direito para ampla defesa, Darley não convenceu e acabou exonerado. O agora ex-auditor fiscal é ligado ao grupo político do deputado federal Wolney Queiroz(PDT), de Caruaru.

PETROBRAS ANUNCIA AUMENTO DA GASOLINA


A Petrobras anunciou aumento de 3% no preço da gasolina e de 5% no diesel. O aumento entra em vigor a partir da 0h de sexta-feira (7).

A diretoria da estatal vinha pressionando o governo por um reajuste dos preços dos combustíveis. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, tinha dito que a gasolina poderia subir no Brasil. Nos últimos meses, o ministro afirmou repetidas vezes que um reajuste de preço deveria acontecer neste ano. Último reajuste foi em novembro do ano passado.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

PSDB E PT FAZEM A GUERRA. QUEM PERDE É O BRASIL

:
PSDB e PT estão brincando com fogo – e quem pode sair queimada é a democracia brasileira. Depois de um show eleitoral que eletrizou o País, repleto de surpresas, viradas e uma disputa voto a voto que resultou sim numa vitória apertada, mas limpa e legítima, a reeleição da presidente Dilma Rousseff vai sendo questionada de maneira perigosa. Não apenas, igualmente vai sendo defendida de um modo bastante arriscado.

Na terça-feira 4, enquanto o ex-candidato tucano falou em chamar para o seus domínios um "grande exército a favor do Brasil", a resposta do comando petista foi um panfleto eletrônico, via Facebook, no qual se convoca: "Militância, às armas!". Tudo no sentido figurado, mas essas são as palavras que atingirão o público. Nessa batida, que se dá antes mesmo de serem completadas duas semanas do final da campanha eleitoral, onde se quer chegar?

Tanto na recusa ao diálogo com o governo, posição professada do ex-presidente Fernando Henrique ao ex-candidato a vice Aloysio Nunes, como na dificuldade da cúpula do PT em se posicionar além e acima dessas provocações de viés estudantil – logo um partido que venceu uma, duas, três e quatro eleições presidenciais seguidas – mora o perigo. No meio destes opostos, corre solta uma nova direita de cunho golpista, que já demonstrou a capacidade de ocupar a maior avenida de São Paulo, no sábado 1, sem ser incomodada.

SÓ POR HIPÓTESE - O risco não é pequeno. Tome-se a hipótese, neste vácuo de diálogo entre os partidos envolvidos diretamente na peleja, de um ato qualquer de violência. O que pode acontecer? Neste momento, caso o "exército" a que Aécio se referiu se depare nas ruas com "as armas" da militância petista, o que haveria com quem apenas e simplesmente foi às urnas escolher o candidato que considerou mais preparado para dirigir o País?

Em 1964, a resposta para os movimentos de desestabilização ao presidente João Goulart, a partir da renúncia embriagada do titular Jânio Quadros, em 1961, resultou numa ditadura de matou, torturou e reinou pelos seguinte 21 anos. As promessas de limpeza da corrupção, saneamento dos partidos, eleições presidenciais logo em seguida emprestaram até mesmo uma certa legitimidade, de um ponto de vista à direita, ao golpe militar – de resto imediatamente ratificado pelo Congresso, que declarou vago o cargo de presidente da República.

Exagero? Em termos. Alertar agora sobre o que pode acontecer quando se mexe no inconsciente coletivo com o uso de imagens belicosas – repita-se, exército, armas etc. – é apenas ser responsável.

A sociedade brasileira cresceu, se desenvolveu e é hoje, sem dúvida, muito mais complexa do que a daqueles tempos. Porém, ainda é a sociedade brasileira, nitidamente dividida em classes de interesses conflitantes e ideologias díspares. Um fósforo aceso ainda pode, da mesma maneira que ontem, causar uma fogueira, e mais uma e mais outra até provocar um grande incêndio.

É de se admirar, negativamente, que chefes partidários experientes como são os do PSDB admitam o confronto permanente com a presidente reeleita, como se revela em todas, sem exceção, manifestações de quadros como os próprios Aécio e FHC, além de Goldman, Nunes e outros menos famosos.

Note-se: o senador eleito José Serra, que assim como eles sofreu com a ruptura democrática, mas, mais que eles, foi perseguido de morte logo após o abril de 64, não entrou nessa vibe, como diz a juventude que frequenta as baladas. Está quieto, certamente não gostando nada nada do que está ouvindo.

Igualmente é de se espantar que o comando do PT tome para si a mesma retórica da guerra, ao chamar a militância às armas, quando até o vão livre do Masp sabe que quem sempre sempre perde nessa disputa é a esquerda.

Note-se 2: Lula, que cresceu como sindicalista debaixo da ditadura grossa, é outro que está na moita sobre esse tema, certamente guardando para si o crédito de agir, se necessário for, como bombeiro – e não como incendiário - se o fogo pegar.

CANOA FURADA - No dia 15, os cerca de 2,5 mil manifestantes que tomaram no dia 1 a avenida Paulista com um passeata repleta de discursos antidemocráticos, outra vez prometem sair às ruas. E acreditam que serão mais. Se a moda avança, quem vai segurar a fúria da massa?

O comando PT está mostrando que ainda sofre de falta de maturidade, ao querer medir forças com o PSDB no terreno proposto pelo adversário, que é o da confusão, o do "grande exército". Nas portas das muitas sedes que o partido tem em todo o País, valeria colocar um aviso de que, sim, o PT ganhou as eleições – e por isso mesmo é o mais interessado, em lugar de fazer a guerra dos provocadores, na promoção da paz.

Com essa maneira de chamar militantes às armas, ainda que em sentido figurado, como fez Aécio com seu exército, o partido embarca direitinho na canoa furada que os tucanos lhe oferecem. Vai chegar bem longe nela, ô se vai...

domingo, 2 de novembro de 2014

Diálogo ou novas imposturas? (Fernando Henrique Cardoso)

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não quer trégua nem diálogo com a presidente Dilma Rousseff, reeleita para seu segundo mandato. É o que se conclui de seu novo artigo, publicado neste domingo. 

Leia abaixo:

Em uma democracia não cabe às oposições, como ao povo em geral, senão aceitar o resultado das urnas. Mas nem por isso devemos calar sobre o como se conseguiu vencer, nem sobre o porque se perdeu. Os resultados eleitorais mostram que aprovação ao atual governo apenas roçou um pouco acima da metade dos votos. Ainda que a vitória se desse por 80% ou 90% deles, embora o respeito à decisão devesse ser idêntico ao que se tem hoje com a escassa maioria obtida pelo lulopetismo, nem por isso os críticos deveriam calar-se.

É bom retomar logo a ofensiva na agenda e nos debates políticos. Para começar, não se pode aceitar passivamente que a “desconstrução” do adversário, a propaganda negativa à custa de calúnias e deturpações de fatos, seja instrumento da luta democrática. Foi o que aconteceu, primeiro com Marina Silva, em seguida com Aécio Neves. O vale tudo na politica não é compatível com a legitimidade democrática do voto. Marina, de lutadora popular e mulher de visão e princípios, foi transformada em porta-bandeira do capital financeiro, o que não é somente falso, mas inescrupuloso. Aécio, que milita há trinta anos na política, governou Minas duas vezes com excelente aprovação popular, presidiu a Câmara e é senador, foi reduzido a playboy, farrista contumaz e “candidato dos ricos”.

Até eu, que nem candidato era, fui sistematicamente atacado pelo PT, como se tivesse “quebrado” o Brasil três vezes (quando como ministro da Fazenda ajudei o país a sair da moratória), como se tivesse deixado a Presidência com a economia corroída pela inflação (como se não fôssemos eu e minha equipe os autores do Plano Real que a reduziu de 900% ao ano para um dígito), como se os 12% de inflação em 2002 fossem responsabilidade de meu governo (quando se deveram ao temor de eventuais desmandos de Lula e do PT).

Não me refiro à língua solta de Lula, que diz o que quer quando lhe convém, mas ao fato de a própria presidenta e sua campanha terem endossado que o PSDB arruinou o Banco do Brasil e a Caixa, quando os repôs em sadias condições de funcionamento. E assim por diante, num rosário de mentiras e distorções, insinuando terem sido postos em baixo do tapete vários “escândalos”, como o “da pasta rosa” ou o “do Sivam”, ou “da compra de votos” da emenda da reeleição etc., factoides construídos com matéria falsa, levantada pelo PT, submetida a CPIs, investigações várias e julgamentos que deram em nada por falta de veracidade nas acusações.

Mas isso não é o mais grave. Mais grave ainda é ver a reeleita colocando-se como campeã da moralidade pública. Entretanto, não respondeu à pergunta de Aécio Neves sobre se era ou não solidária com seus companheiros que estão presos na Papuda. Calou ainda diante da afirmação feita no processo sobre o petrolão de que o tesoureiro do PT, senhor Vaccari, era quem recolhia propinas para seu partido. Havendo suspeitas, vá lá que não se condene antes do julgamento, mas até prova do contrário deve-se afastar o indiciado, como fez Itamar Franco com um ministro e eu fiz com auxiliares, inocentados depois, no caso Sivam. Então por que manter o tesoureiro do PT no conselho de Itaipu?

Pior. A propaganda incentivada pela liderança maior do PT inventou uma batalha dos “pobres contra os ricos”. Eu não sabia que metade do eleitorado brasileiro, que votou em Aécio, é composta por ricos... É difícil acreditar na boa fé do argumento quando se sabe que 70% dos eleitores do candidato do PSDB, segundo o Datafolha, compunham-se de pessoas que ganham até três salários mínimos. A propaganda falaciosa, no caso, não está defendendo uma classe da exploração de outra, mas enganando uma parte do eleitorado em benefício dos seus autores. Isso não é política de esquerda nem de direita, é má-fé política para a manutenção do poder a qualquer custo. Igual embuste foi a insinuação de que a oposição é “contra os nordestinos”, como se não houvesse nordestinos líderes do PSDB, assim como eleitores do partido no Nordeste.

Também houve erros da oposição. Quem está na oposição precisa bradar suas razões e persistir na convicção, apontar os defeitos do adversário até que o eleitorado aceite sua visão. Para isso precisa organizar-se melhor e enraizar-se nos movimentos da sociedade. Felizmente desta vez Aécio Neves foi firme na defesa de seus pontos de vista e, sem perder a compostura, retrucou os adversários à altura, firmando-se como um verdadeiro líder.

Diante do apelo ao diálogo da candidata eleita devemos responder com desconfiança: primeiro mostre que não será leniente com a corrupção. Deixe que os mais poderosos e próximos (ministros, aliados ou grandes líderes) respondam pelas acusações. Que se os julgue, antes de condenar, mas que não se obstruam os procedimentos investigatórios e legais (Lula tentou postergar a decisão do STF sobre o mensalão o quanto pôde). Que primeiro a reeleita se comprometa com o tipo de reforma política que deseja e esclareça melhor o sentido da “consulta popular” a que se refere (plebiscito ou referendo?). Que se debata, sim, na sociedade civil e no Congresso, mas que se explicite o que ela entende por reforma política. Do mesmo modo, que tome as medidas econômicas para vermos em que rumo irá o seu governo.

Só se pode confiar em quem demonstra com fatos a sinceridade de seus propósitos. Depois de uma campanha de infâmias, fica difícil crer que o diálogo proposto não seja manipulação. Só o tempo poderá restabelecer a confiança, se houver mudança real de comportamento.

A confiança é como um vaso de cristal, uma pequena rachadura danifica a peça inteira.

Fernando Henrique Cardoso

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

USFs DE ROÇADINHO E CANAÃ 2 NA CAMPANHA DO OUTUBRO ROSA

As equipes das USFs do distrito de Roçadinho e Canaã 2 promoveram nesse dia 29 o dia "D", em comemoração ao OUTUBRO ROSA, campanha de conscientização sobre a prevenção do diagnóstico precoce do câncer de mama e do útero. Com palestra educativa sobre o tema

Vejam as fotos












PALESTA SOBRE SAÚDE BUCAL COM  DR JULIO EM ROÇADINHO








USF CANAÃ 2