ssss

ssss

NÃO FIQUEM DE FORA E VENHA CURTIR O MELHOR BLOCO DA SEMANA PRÉ.

NÃO FIQUEM DE FORA E VENHA CURTIR O MELHOR BLOCO DA SEMANA PRÉ.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

PREVISÃO DA ELEIÇÃO PARA O SENADO EM PERNAMBUCO


Nas eleições de 2018, duas vagas para o Senado estarão sendo renovadas em cada Estado da Federação. Em Pernambuco encerram seus mandatos os senadores Armando Monteiro Neto (PTB) e Humberto Costa (PT), ambos eleitos na chapa do ex-governador Eduardo Campos (PSB) em 2008. Já vindo de um mandato bem-sucedido, Eduardo puxou pela sua força indiscutível os dois representantes para a Casa Alta.

Eleição de Senado não se traduz pela potencialidade do candidato. É medida pelo prestígio do cabeça de chapa, o candidato a governador. Exemplos disso existem aos montes. Em 1986, mito e quase beatificado pelo exílio, Miguel Arraes arrastou o usineiro Antônio Farias e o padre Mansueto de Lavor. Fez o milagre de tirar o Senado das mãos do ex-governador Roberto Magalhães, que largou na frente apresentando-se quase que imbatível aos olhos de muitos.

Em 1990, Joaquim Francisco, eleito governador, puxou Marco Maciel. Oito anos depois, Jarbas Vasconcelos elegeu José Jorge, que sequer pontuava nas pesquisas, inicialmente. Episódios eleitorais assim se reproduzem em todo território nacional porque raros são os postulantes ao Senado que emplacam mandatos sem contar na chapa com um candidato a governador de grande densidade eleitoral.

As eleições de 2018 se abrem em Pernambuco com um cenário para o Senado que foge à esta regra. Candidato à reeleição, o governador Paulo Câmara (PSB) não possui a força, hoje, dos ventos uivantes para puxar os dois senadores. Como escrevi na coluna de sábado passado, tem pela frente o desafio de mostrar nos próximos dois anos a que veio. Seu governo não tem charme, é insípido e inodoro.

Para a sua chapa ao Senado já existe um nome praticamente certo: o deputado Jarbas Vasconcelos, indicado pelo PMDB. A segunda vaga é uma grande incógnita. Jarbas não é menino nem nasceu ontem na política para compreender que sua eleição, pelo histórico traçado acima, não depende exclusivamente dele. Quem elege senador é governador forte, vale repetir. Uma das raras exceções a contrariar esta tese foi Carlos Wilson, que impediu Arraes em 94 de eleger os dois senadores. Roberto Freire chegou lá, mas Armando Monteiro Filho perdeu para Wilson, o Cali, como era mais conhecido.

No campo da oposição, dois dos quatro ministros pernambucanos enxergam o horizonte de 2018 sonhando com o Senado: Mendonça Filho, da Educação, e Bruno Araújo, de Cidades. Perderam o costume de tomar o cafezinho das três da tarde no Palácio das Princesas, compartilhando o poder estadual. Nem sentem mais o cheiro torrado do café quente e o mais provável é serem abraçados pelo senador Armando Monteiro, se este vier mesmo a se transformar no nome capaz de construir em torno dele a chamada nova oposição.

Armando governador, Mendonça e Bruno senadores, eis uma chapa que parece competitiva. Resta saber o que Armando fará para se desvincular do PT, seu aliado nas duas últimas eleições - governador em 2014, que disputou e perdeu com João Paulo candidato a senador, e 2016, quando, mais uma vez, se vestiu de vermelho apostando novamente em João Paulo, desta vez derrotado por Geraldo Júlio.

DÍVIDAS– O deputado Guilherme Coelho (PSDB) se integrou a um grupo de parlamentares para pressionar o Governo Temer a ter celeridade no processo de renegociação das dívidas dos agricultores. A lei já foi regulamentada e está normatizada pelo Banco do Nordeste, que já iniciou as renegociações com os produtores. Porém, o BB ainda não está oferecendo os descontos. “Muitos agricultores que têm dívidas já estão procurando a instituição para renegociar os débitos. O que nós acordamos hoje é que enquanto o banco não estiver operando, esses agricultores não podem ser inscritos no Serasa, no SPC e Cadin pelos débitos atrasados que a lei ampara”, alertou Guilherme.

domingo, 15 de janeiro de 2017

10 MORTE NA REBELIÃO EM PRESÍDIO NO RG, POLÍCIA INVADE E CONTROLA O MOTIM


Veículos da Polícia Militar entraram na Penitenciária de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte, por volta das 6h da manhã deste domingo (15), no horário local (7h em Brasília). Uma rebelião ocorria na prisão desde a tarde deste sábado (14).

O motim foi controlado por volta das 8h (horário de Brasília), segundo informações da Secretaria de Segurança Pública. Nas próximas horas, a polícia deverá fazer a contagem de corpos e avaliação da estrutura do presídio. Pelo menos dez presos foram mortos, segundo o governo estadual.

No portão do presídio permanecem homens da Força Nacional, bombeiros e ambulâncias. Policiais militares tentam tranquilizar as pessoas que esperam notícias.

Os familiares continuam do lado de fora. Para dormir, improvisaram papelões na calçada e se protegeram do frio com cobertores.

Durante a madrugada, o clima foi tranquilo. Gritos dos presos e disparos de bombas de efeito moral não foram ouvidos das 2h até as 6h da manhã, quando as tropas começaram a entrar.

O Sindicato da Polícia Civil do Rio Grande do Norte emitiu uma nota onde alerta sobre ataques nas ruas e em outros presídios por facções. O Estado afirma que apenas em Alcaçuz ocorreu rebelião.

O secretário estadual de Justiça, Walker Virgulino, reconhece a crise no sistema penitenciário e afirma que o governo criou uma equipe para gerenciar a rebelião.

Imagens compartilhadas na internet atribuídas ao motim mostram presos sendo mutilados e decapitados. O governo não confirma se as fotos e vídeos são verdadeiros. Parentes dizem que existem mortes no pavilhão 4, e contabilizam 60 mortos. O boato causou desespero das famílias e também não tem confirmação.

Na madrugada, um momento de emoção durante a vigília das esposas foi um culto ecumênico improvisado, com rituais e canções de diferentes religiões, seguidos de orações.

Os presos permaneciam fora das celas e circulavam nos pavilhões desde o início do confronto. Lideranças de facções teriam sido separadas pela polícia com bombas de efeito moral.

A dona de casa Maria Santos, 60, moradora da zona norte de Natal, não economiza nas críticas para direção de Alcaçuz. O filho, de 37 anos de idade, cumpre pena por tráfico de drogas. Condenado a 14 anos, cumpriu quatro.

"Quem nunca soube o que é o inferno, é aqui (Alcaçuz). Os agentes (penitenciário) fazem o que eles querem. É uma humilhação para as esposas", diz dona Maria depois de ter ouvido relatos de maus tratos. Ela também reclama da administração do presídio e suspeita de corrupção.

CONFLITO

A rebelião foi motivada por uma briga nos pavilhões 4 e 5 do presídio envolvendo facções: segundo o governo, entre membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) e do Sindicato do Crime. Houve uma invasão de um pavilhão por presos inimigos, o que deu início ao motim. O governo diz que a rebelião foi restrita a esses dois pavilhões e que não houve fugas.

O conflito começou por volta das 17h de sábado, no horário local (18h em Brasília). A Polícia Militar acompanhava a situação da rebelião, com tropas do choque e do Bope no local, mas não conseguia entrar no presídio.

A Penitenciária de Alcaçuz abriga 1.083 presos, mas tem capacidade para apenas 620, segundo dados da Secretaria de Justiça. O presídio fica no município de Nísia Floresta, a 25 km de Natal.

Segundo o advogado Gabriel Bulhões, da Comissão de Advogados Criminalistas da OAB-RN, há uma "guerra de facções" no Estado entre o PCC e o Sindicato do Crime –uma dissidência do PCC surgida por volta de 2012. Os dois lutam pelo domínio do sistema carcerário no Rio Grande do Norte, em especial em Alcaçuz, o maior presídio estadual.

"Essa situação estava para explodir há algum tempo", afirma Bulhões. Segundo ele, o clima se tensionou nos últimos meses, e há informações de que os grupos estavam se armando para o confronto.

O governo informou que criou um gabinete de gestão integrada e que enviou batalhões de todo o Estado para o presídio. O Ministério da Justiça disse, por meio da assessoria, que o ministro Alexandre de Moraes acompanha a situação em Natal.

sábado, 14 de janeiro de 2017

WhatsApp: golpe que promete mudar cores já atingiu 1 milhão de brasileiros

                     
                          

Uma nova ameaça no WhatsApp que promete personalizar o app de mensagens com cores diferentes está enganando usuários por todo o Brasil. Segundo o alerta revelado com exclusividade ao TechTudo pela equipe de segurança da PSafe, o golpe já enganou mais de 1 milhão de pessoas e foi disseminado por meio de um link fraudulento em conversas do mensageiro.

Atraídas pela suposta função do WhatsApp e convencidas por uma interface bem feita, as vítimas são induzidas a instalar aplicativos de terceiros que podem conter vírus.

O ataque começa quando o usuário clica no link compartilhado por amigos ou em algum grupo do WhatsApp com a promessa de personalização das cores do mensageiro. O endereço o leva a uma página com visual simples e bonito – diferente da grande maioria dos vírus espalhados, o que pode confundir a vítima. O site fraudulento exibe uma mensagem que descreve o recurso de mudança de cor para Android, iPhone (iOS), Windows Phone e BlackBerry e o botão de "Ativar agora".

Após tocar no botão de ativação, surge uma falsa verificação de usuário. Para continuar, é necessário compartilhar o link com 10 amigos ou cinco grupos no WhatsApp. Quando esse procedimento é feito, o botão "Ativar novas cores" fica disponível com a suposta função. A partir daí, o golpe pede para que a vítima entre em um novo link pelo WhatsApp Web.

Como a função, de fato, não existe, o usuário é levado a instalar aplicativos suspeitos, que não necessariamente contém vírus. A cada novo app instalado por esse meio, uma quantia em dinheiro é depositada para o hacker responsável pela ameaça.

Para fugir de ataques semelhantes, é necessário estar atento aos links recebidos por qualquer mensageiro, mesmo quando enviados por pessoas conhecidas. Recomenda-se também somente baixar atualizações disponíveis nas lojas oficiais de cada plataforma, como a Google Play Store e a App Store, além de nunca compartilhar senhas e dados pessoais em sites estranhos.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

PRISÃO DE BANDIDOS EM FRENTE O GINÁSIO EM CATENDE





Ação policial perto do Ginásio Municipal em Catende no início da tarde de hoje. Com tiros e prisão de bandidos. Informações apuradas que os meliantes roubaram uma moto na cidade de Palmares sendo encontrados em Catende.

ACÃO EM ANDAMENTO


BREVE MAIS INFORMAÇÕES







domingo, 8 de janeiro de 2017

MAJOR OLIMPIO INCITA VIOLÊNCIA E TAMBÉM PEDE MAIS CHACINAS



O deputado federal Major Olimpio (SD-SP) fez apologia ao crime ao comentar, em sua página no Facebook, as chacinas ocorridas em presídios de Manaus (AM) e Boa Vista (RR). O parlamentar estimulou Bangu, presídio que fica no Rio de Janeiro, a "fazer melhor". 

Vamos lá, Bangu!
Vocês podem
fazer melhor!
#EuAcredito..

Na sexta-feira 6, o então secretário de Juventude do governo Temer, Bruno Júlio, também pediu mais chacinas. Ele deixou o cargo no mesmo dia, após dizer que "tinha era que matar mais" e defender "uma chacina por semana".

sábado, 7 de janeiro de 2017

O preso que mais amedronta o Planalto

O pavoroso massacre que ceifou a vida de 56 presidiários em Manaus (AM) antecipou-se às esperadas dores de cabeça do presidente Michel Temer em 2017. Afinal, uma nova rebelião sangrenta como a da Penitenciária Anísio Jobim pode amplificar a imagem de descontrole do sistema prisional.

Porém, o preso que mais amedronta o Palácio do Planalto está em Pinhais (PR), a 2.742 km ao sul da capital do Amazonas. Lá está Eduardo Cunha, preso que, sozinho, apavora mais do que os chefes de quadrilha encarcerados nas masmorras brasileiras.

Transferido para a Penitenciária de Pinhais, nos arredores da capital Curitiba, o ex-presidente da Câmara deu sinais de que pode delatar os supostos esquemas de corrupção do PMDB e aliados. Por enquanto, recônditas ameaças.

Antes de ser preso, Cunha foi afastado da presidência da Câmara e depois cassado pelos colegas. A cada revés pululavam boatos de que o poderoso parlamentar aceitaria entregar correligionários em troca de uma condenação mais branda.

Transferido a contragosto para Pinhais, acusado pela Justiça suíça de suspeitas “óbvias” de “corrupção” e acossado pelo célere e inclemente juiz Sergio Moro, o ex-deputado assusta caciques do PMDB. Entre eles, o presidente Michel Temer – pois o que Cunha eventualmente revelar será encarado como verossímil.

Tanto que o advogado Renato Oliveira Ramos, ligado à Casa Civil da Presidência da República, visitou Cunha na carceragem da Polícia Federal em Curitiba pelo menos duas vezes. Uma hipótese é a de que sondava a respeito de uma eventual delação do aliado.

São poucos os acusados que, tendo o que entregar, rechaçam a delação premiada. Ou conseguem se safar sozinhos de uma sentença mais severa, ou resistem em nome de uma causa ou por lealdade aos sócios no crime.

José Dirceu, que já foi um dos mais poderosos líderes do PT, e José Vaccari Neto, ex-tesoureiro da legenda, são dois exemplos. Condenados, silenciaram alegando inocência.

E Cunha? Não tem com o que barganhar uma punição menor, sabe como se livrar do relho de Moro ou vai se manter fiel aos aliados? Isolado numa cela, tempo para elaborar a resposta é o que não falta ao peemedebista.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Ministério antecipa 196 mil para pagamento do piso dos professores Catende



O ministro da Educação, Mendonça Filho pagou quatro meses antes os valores referentes ao repasse de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb) para complementar o piso salarial dos professores, nos estados e municípios. Em Catende foi liberado R$196.934,21 para complementar o piso dos professores.

A complementação do Fundeb era paga com atraso. Com o trabalho do ministro Mendonça Filho junto ao Ministério da Fazenda, o Governo decidiu antecipar o pagamento referente a 2016. Para 2017 os valores da complementação do Fundeb serão pagos mensalmente. “Como isso, asseguramos o pagamento do piso nacional, evitando atrasos nos contracheques, especialmente nas cidades com maior dificuldade financeira,” destacou Mendonça Filho.

Fundeb — Criado em 2006, por emenda constitucional, o Fundeb é um fundo especial de natureza contábil e de âmbito estadual (um por unidade da Federação, num total de 27), formado, na quase totalidade, por recursos provenientes dos impostos e transferências dos estados, Distrito Federal e municípios vinculados à educação.

O aporte de recursos do governo federal ao Fundeb, a partir de 2010, passou a corresponder a 10% da contribuição total dos estados e municípios. Os investimentos realizados por eles e o cumprimento dos limites legais da aplicação dos recursos do Fundeb são monitorados por meio das informações declaradas no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope).

A Portaria Interministerial nº 8/2016, dos ministérios da Educação e da Fazenda, que estabelece parâmetros operacionais para o Fundeb em 2017, foi publicada no Diário Oficial da União de 27 e dezembro de 2016.

Salário mínimo deveria ser de R$ 3.856,23, segundo Dieese



Em dezembro, o salário mínimo ideal para sustentar uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.856,23. O valor é 4,38 vezes o salário em vigor no mês passado, de R$ 880. A estimativa é do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) e foi divulgada nesta quarta-feira (4). 

O departamento divulga mensalmente uma estimativa de quanto deveria ser o salário mínimo para atender as necessidades básicas do trabalhador e de sua família, como estabelecido na Constituição: moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social. 

Esse valor é calculado com base na cesta básica mais cara entre as 27 capitais. Em dezembro, o maior valor foi registrado em Porto Alegre (R$ 459,02).

A diferença entre o salário mínimo real e o necessário caiu de novembro para dezembro. No mês anterior, o ideal era que ele fosse de R$ 3.940,41 (4,48 vezes o salário mínimo).
Mínimo de R$ 937

Desde o dia 1º de janeiro entrou em vigor o novo salário mínimo, de R$ 937, que valerá durante 2017.

O aumento de 6,48% sobre os R$ 880 de mínimo em 2016 foi feito com base na inflação, segundo o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

Segundo o Dieese, 2017 é o primeiro ano em que o salário mínimo não teve aumento real (acima da inflação) desde 2003, início da série registrada pelo departamento.

Se a Terra é redonda, quais são os “quatro cantos do planeta”?



A expressão “quatro cantos do planeta” não tem origem na lógica geométrica (considerando como “canto” qualquer intersecção entre duas retas, como uma esquina). 

Acredita-se, na verdade, que ela seja uma metáfora para as principais orientações de sentido conhecidas: os pontos cardeais norte, sul, leste e oeste. É isso que justificaria expressões como “Conheço os quatro cantos do planeta” e “Já viajei de norte a sul”.

Os registros dessa expressão são antigos, muito antes do homem sequer ter a certeza científica de que o planeta era esférico. Dependendo da versão da tradução da Bíblia, a expressão aparece, por exemplo, no livro Apocalipse: “Depois disso, vi quatro Anjos, um em cada canto da Terra” (Apocalipse 7:1).

Outra questão polêmica é a origem da palavra “canto”. Por exemplo: por que os canteiros das avenidas recebem esse nome, se não ficam nos cantos? Novamente, não há relação espacial entre o nome e o que ela designa. Quando os primeiros canteiros surgiram, eles não estavam associados a porções de terra, mas a pedras. Segundo o dicionário Houaiss, um dos significados da palavra canto é pedra. Por isso, os primeiros montes de pedras das obras são chamados de canteiros de obras.



segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

POSSE DOS ELEITOS EM CATENDE, COBERTURA DO BLOG CATENDE NOTÍCIAS



Domingo 01/01/2017 aconteceu na Camara de Vereadores da cidade de Catende, a cerimonia de posse do Prefeito, vice prefeito e vereadores eleitos na ultima eleição. Foram empossados o prefeito eleito Josibias Cavalcante (PSD) e seu vice Fausto da Farmácia e os vereadores:

Cesar Barros PSB 
Erivaldo DEM 
Borel PP 
Biu Flor PSC 
Buda PR 
Xavier PTB 
Djalma da Saúde SD 
João da Loja PTC 
Marcílio da Saúde SD 
Dida Filho de Ze Joaquim PTB 
Irmã Sonia PSL 
Tonho do Egito PMB 
Vicente de Lage Grande PMB 


O Vereador CEZAR BARROS, o mais votado nas eleições em seu direito constitucional. assumiu a presidência dos trabalhos, que o conduziu muito bem com toda a sua competência formando a mesa com os vereadores BUDA E TONHO DO EGITO

                                

A expectativa estava para a nova composição da mesa da Camara de Vereadores onde perceberia como o Prefeito eleito começaria o seu mandato em relação a apoio.

Após a eleição foi dado o resultado e por 7 x 6 a chapa vencedora foi:

PRESIDENTE: DJALMA
1º SECRETÁRIO: TONHO DO EGITO
2º SECRETÁRIO: IRMÃ SONIA

A chapa eleita tomou posse e foi observado que o Prefeito empossado não consegui a maioria dos vereadores para seu apoio. Vamos acompanhar e ver se realmente vão fazer oposição ao governo

Na prefeitura houve a cerimônia da entrega de chaves:

COBERTURA FOTOGRÁFICAS EXCLUSIVA DO BLOG CATENDE NOTÍCIAS